quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Pena sem pena



Descobrem uma rede de “estupradores de bebês”: preciso reler a notícia, que não se enquadra no meu contexto.
Uma rede, sim: cúmplices pegam os bebês, de até dois ou três anos, que são violentados, submetidos ao que chamam “humilhações horripilantes”. Tudo é filmado, e depois vendido pela internet ou sabe lá que meios.
A humanidade inteira sofre neles, uma desordem selvagem se instaura no mundo.
Olho minhas netas e meu neto bem pequenos, e quero a pena de morte para quem os brutalizasse.
(...)
Conheço histórias pavorosas sobre violência sexual na família, e não só onde reinam miséria e ignorância. Isso sem contar com os monstros que andam soltos por aí em nossas desprotegidas ruas.
Então quero a pena de morte.
Terroristas explodem mulheres, crianças, pais de família, estudantes, velhos. Se se explodem junto, problema deles. Para esses criminosos não adianta querer a pena de morte pois eles a aplicam a si mesmos, certos da glória a posteriori...
Não sei que pena eu desejaria para os ídolos de pés de barro, os santos de pau oco ou os cara de pau escrachados que se autodenominam salvadores da pátria, varões de Plutarco e porta bandeiras da esperança dos injustiçados em geral.
A pena da humilhação pública? Me parece que alguns andam se divertindo em lugar de se penitenciar, na República do Cinismo.
Pena da perda de cargos, suspensão de direitos? Cadeia nem falo, porque entrariam por uma porta e sairiam pela outra. Se houver resultado para as anunciadas investigações, talvez muitos saiam do país de mansinho, apenas mudando o endereço de suas trapaças.
(...)
O mundo continua, a humanidade anda, nascemos e vivemos e morremos. Tudo o que nos acontece nestes dias ainda tem conserto, ou será mais uma vez varrido para debaixo do tapete?
Seja como for, depois do que ocorre entre nós, começando nas autoridades e nas nossas crenças, com criminosos absolvidos e inocentes acusados, diante de um povo passivo, nunca mais seremos os mesmos: será bom, ou será uma pena?
- Lya Luft -


Precisei editar, mas você poderá ler todo o texto “Pena sem pena” no livro “Em outras Palavras”.

Até amanhã!

2 comentários:

Ane disse...

Tetê,vc está postando mensagens ótimas!Certo estou me repetindo,mas estava lendo os posts que ainda não li e gostei de todos.Este post é um alerta pra todos nós porque infelizmente é esta a realidade que vemos hoje no mundo.Bjo!

Mary disse...

Olá,Amiga Tetê! Tudo OK?
Acho que estamos vivendo num labirinto cercados de Monstros!
Vim ver as 9dades e desejar um Ótimo Final de Semana!
"Amizade, palavra que designa vários sentimentos,
que não pode ser trocada por meras coisas materiais.
Deve ser guardada e conservada no coração."
Esta Semana estou com o Último Sanduba da série!!!
Beijos,
"Chef" MARY.