segunda-feira, 2 de novembro de 2009

O talismã

Um vestidinho de menina embolou por muito tempo pelos brechós, até que um dia uma forte ventania o arrastou para longe.
Angelita andava tristonha, tentava esquecer os problemas que a rodeavam, não conseguia. Começava a afundar no poço da depressão, onde as soluções são difusas.
Pega de surpresa pela ventania, seus olhos se enchem de pequenos ciscos. Enquanto os esfregava, alguma coisa macia lhe foi jogada no rosto. Instintivamente a pegou, abriu os olhos e percebeu ser um vestidinho de menina. Bordados delicados no pequeno avental de organdi, enquanto admirava deparou-se com um nome, Leila, bordado no meio das pequenas flores.
Aquele presente que o vento lhe trouxe lhe pareceu simpático, a ternura tomou conta do seu espírito. Dobrou nas mãos e pensou na criaturinha que outrora o vestiu. Caminhou até a casa, guardou com uma alegria especial.
;
Na casa dos sete batentes Enedina se deparava com uma angústia, não sabia ao certo de que se originava. Rezou e deitou-se, mas não dormiu.
Ouviu passos, levantou sobressaltada, correu para a porta. Lá estavam seus filhos, assustados, querendo entrar. Não teve palavras para perguntar o que se passava, um calafrio lhe passou pela espinha. A chave tremia nas mãos, sentia que uma ventania estranha trazia um poder maléfico, enviado por alguém que a queria destruir. Não conseguia dominar-se.
O ruído do vento assustador, parecia querer devorar seus filhos. Um grito lhe saiu da garganta, descobriu a chave do enigma. A coisa fora detida, ouviu-se de uma voz rouca a resposta do pesadelo – Lúcia.
Estava explicado de onde vinha tanta energia negativa.
;
O telefone toca. Angelina eufórica relata os fatos a irmã. Fala do interessante achado.
Será o talismã de nossa família, espécie de amuleto que nos protegerá dos males que porventura aparecerem”.
Vinha de um anjo e como num roçar de asas, envolvia num carinho doce. Tão real, que nada mais haveria de assustar aquela gente.
- Luciene Freitas -
Z
02 de novembro, "Dia de Finados".
Um dia para lembrarmos de nossos queridos que retornaram ao lar celestial.
Um dia de saudade!

4 comentários:

Ana Maria disse...

Acredito que nós temos um talismã, um amuleto, um anjo; que sempre nos seguem dando sinais. quando tropeçamos, é porque não soubemos ouví-los. Ou não acreditamos nos sinais. Sou uma pessoa intuitiva, desconfiada e atenta. Assim é meu modo de pensar e acreditar.
Claro, em primeiro lugar, DEUS.
Amiga querida, tenha um feriado alegre e um começo de semana formidável.
Beijinhos de luz!

New Life ^^ disse...

BOA TARDE MINHA QUERIDA AMIGA TETÊ!!!

COMO VOCÊ ESTÁ? TUDO CERTINHO COM VOCÊ?
BOM... DEPOIS DE UM GRANDE SUSTO COM O MEU
FILHO, ESTOU AQUI PARA AGRADECER O CARINHO
E A PRESENÇA DEIXADOS NO MEU CANTINHO!
SEGUNDA ESTAREI RETORNANDO AO MUNDO
BLOGUEIRO E CONTO MAIS DETALHES, OK?
VOU ARRUMAR AGORINHA ^^

OBRIGADA PELA COMPREENSÃO E TENHA UMA
ÓTIMA SEMANA!
UM FORTE ABRAÇO E FIQUE COM DEUS!
TATIANA BERTOLIN

http://new-life.zip.net

Aliny disse...

Oie amiguinha Tetê eh como vc falou o texto eh enigmatico msm..como tds dela...mas eu vou tentar entender ...eh assim..qdo Angelita achou o vestidinho ela guardou...era um anjo...q trouxe...e ele protejou a familia da Eredina ...q viajem + entendi assim...viajei por isso minha ausencia...e como foi seu fds com a sobrinha? espero q tenha sido MARA...Otima semaninha...Bjinhux

New Life ^^ disse...

ENVIEI UM E-MAIL PRA VOCÊ PARA:

eunosblogs@yahoo.com.br

BEIJOCAS... TATIANA BERTOLIN

http://new-life.zip.net